quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CSN investirá R$ 540 milhões em projeto agroflorestal que irá gerar 5 mil empregos no sul do Piauí

O Piauí segue atraindo cada vez mais investimentos e dessa vez foi a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) quem apresentou projeto de investimento no estado. Em reunião, nessa segunda-feira (28), com o Governo do Piaui, no Palácio de Karnak, apresentou projeto que pode resultar na geração de 5 mil empregos na região Sul do estado. Trata-se de projeto integrado agroflorestal a ser desenvolvido em área correspondente a 175 mil hectares, abrangendo os municípios de Floriano, Jerumenha, Nazaré do Piauí, Canavieira, Itaueira, Pavussu e Uruçuí.

CSN quer investir R$ 540 milhões e gerar cerca de 5 mil empregos em projeto agroflorestal no Piauí


O projeto prevê a instalação de um componente agrícola localizado em Urucuí, com 44 mil ha, além de um componente florestal situado em Floriano, com 131 mil ha. Inicialmente, o plano é de que as terras sejam utilizadas para plantio de soja e eucalipto.

“Estamos acertando uma pactuação para qualificação de mão de obra nessa região. Queremos piauienses ocupando essas vagas que vão surgir e toda nossa equipe abraçando como um projeto do Piauí”, declarou o governador Wellington Dias.

Reunião entre representantes da CSN com o governador Wellington Dias

A CSN tem a estimativa de investir R$ 540 milhões nos empreendimentos, sem contar o valor já utilizado na compra das terras. Cerca de 105 mil hectares já foram adquiridos ou estão em fase de aquisição. No momento, a companhia está resolvendo questões burocráticas relacionadas ao licenciamento do projeto.

“Tem uma série de possibilidades na parte de geração de energia, desenvolvimento de produtos derivados da madeira, geração de grãos, óleos e outros produtos alimentares”, explicou Davi Salama, diretor-executivo da CSN.

Governo anuncia a retomada das obras da Transnordestina

A notícia da retomada das obras da Transnordestina animou os investidores. As terras adquiridas ficam em um raio de 30 a 40 quilômetros da ferrovia, que deve se configurar no principal canal de escoamento conjunto da produção, por meio dos portos de Pecém e Suape, no Nordeste.

Representantes da CSN também informaram ao governador a retomada das obras da ferrovia Transnordestina

A resposta do Governo do Piauí ao projeto empolga os executivos da CSN. “Muito importante esse trabalho conjunto com a iniciativa pública. Trabalhando juntos. Conseguimos maximizar os resultados do projeto. Agradeço mais uma vez ao governador Wellington Dias e sua equipe pela receptividade dada ao projeto”, completou Salama.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Empresa espanhola quer instalar fábrica de torres eólicas e gerar mais de mil empregos no semiárido do Piauí

Com a expectativa de ser a primeira fábrica de torres de energia eólica no estado do Piauí, a empresa Acciona apresentou, nessa terça-feira (1º), o projeto de produção ao Governo do Estado do Piauí. A iniciativa tem como objetivo a fabricação e comercialização de torres eólicas, que dará suporte a outras empresas que já comercializam energia renovável gerada pelo vento.

Acciona, grupo espanhol atua na construção e energias renováveis e quer instalar no interior do Piauí 
uma fábrica de torres eólicas para abastecer os parques eólicos
 que estão sendo construídos no  semiárido / Imagem: Divulgação

A empresa pretende se instalar nos municípios de Lagoa do Barro e Queimada Nova, com projeto para atender outras cidades da região. “A perspectiva da Acciona é de abrir uma fábrica que seja o dobro das demais, que sai de uma produção de duas torres a cada 15 dias e irá passar para quatro torres no mesmo período. Com a instalação, serão empregados, de imediato, 500 pessoas e posteriormente mais mil”, destaca Lucile Moura, diretora de Atração para Investimentos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet).

Lucile acrescenta ainda que a fábrica já atende a Casa dos Ventos, na Bahia, levando torres de uma indústria que fica localizada no Rio Grande do Norte, andando em torno de mil quilômetros e que, com a sua instalação no Piauí, esse percurso será reduzido pele metade do que se é executado, tornando-se o melhor acesso.

Representantes da Acciona se reuniram com o Governo do Estado para apresentar o projeto de implantação da fábrica de torres eólicas no estado / Imagem: Divulgação

Para a instalação da Acciona, a Sedet, por meio da Diretoria de Atração para Investimentos, irá criar um protocolo de intenções para saber as requisições da empresa, bem como o acesso a água, estrada, rede elétrica, hotelaria, mão de obra qualificada para a fábrica de torres e concreto, operação e manutenção, entre outros.

“Como fala o governador, esse é um projeto que deixa de ser da empresa e passa a ser do Governo do Estado do Piauí. E o nosso papel é acompanhar a implantação dessas ações. É um empreendimento que muito nos agrada, já que é o primeiro empreendimento que faz parte do implemento das fontes de energias renováveis como a eólica, porque a gente tem a produção de energia, mas tudo vem da Bahia e agora produziremos aqui com essa empresa”, finalizou a diretora da Sedet.

A Acciona

A ACCIONA é um conglomerado empresarial espanhol que atua em áreas de construção e energias renováveis. A empresa está no Brasil desde 1996 e emprega no país mais de 3 mil funcionários. Dentre os principais empreendimentos no Brasil  estão as obras do Terminal T2 do Porto do Açu, em São João da Barra e a rodovia federal BR-393, ambas no estado do Rio de Janeiro, e o anel viário Rodoanel Mario Covas em São Paulo.

Fonte: Governo do Piauí e Acciona