sábado, 30 de julho de 2016

Piauí tem uma das maiores jazidas de ferro do Brasil com cerca de 1 bilhão de toneladas

Até pouco tempo atrás marcado apenas pela seca e miséria, o Piauí vem a cada ano mostrando cada vez mais que é dono de grandiosas riquezas naturais e minerais.  E quando o assunto é minérios, ao contrário do que as pessoas pensam, o Piauí é rico em recursos minerais, possuindo jazidas de diabásio, calcário, mármore, níquel e do minério de ferro.

Piauí é rico em minérios e possui uma das maiores jazidas de minério de ferro do Brasil /
 Imagem ilustrativa - Bemisa

O Piauí possuí uma das maiores jazidas de minério de ferro do Brasil, ela está localizada no município de Paulistana, que fica na região sudeste do estado, e está estimada em cerca de 1 bilhão de toneladas. Só para servir de comparação, a mina de Carajás, no Pará, possui cerca de 17 bilhões de toneladas e é a maior do mundo.

A jazida de ferro está localizada em Paulistana,
no sudeste do Piauí / Imagem: Wikipédia
A empresa Bemisa é quem realiza as pesquisas e irá explorar a jazida encontrada na cidade de Paulistana. A empresa pretende investir aproximadamente R$ 3 bilhões provenientes do grupo Bemisa e do BNDES.

O Grupo Bemisa obteve da SEMAR-PI (Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí) a outorga definitiva para captação anual de 15 milhões de metros cúbicos de água, o que representa cerca de 5% da capacidade total da Barragem de Poço do Marruá, localizada no município de Patos, no Estado do Piauí, a cerca de 60 km de distância do empreendimento. 

Com relação ao suprimento energético, uma linha de transmissão de 500 kV, passa a apenas 10 km da área do Projeto Planalto Piauí. O Ministério de Minas e Energia já concedeu a portaria que autorizará o empreendimento a acessar a rede básica e se conectar com o sistema nacional de energia elétrica.

  A quantidade de ferro estimada da reserva
   é de 1 bilhão de toneladas / Imagem: Bemisa
O projeto também já obteve a licença de instalação para implantação da mina, planta de beneficiamento e toda infraestrutura necessária. Além disso, conta com concessão de lavra, emitida pelo Ministério de Minas e Energia (MME), para exploração de minério de ferro na área do projeto

Primeira indústria siderúrgica do estado

Uma industria siderúrgica deverá ser instalada em Paulistana para o beneficiamento do minério de ferro, foi o que disse o então secretário de mineração Paes Landim, em 2012. Ele recebeu garantias de grupos locais para a elaboração de um projeto de viabilidade técnica e econômica para a instalação de uma assearia no município de Paulistana. Esta será a primeira indústria siderúrgica do Estado.

“Nesse local será trabalhado a transformação do ferro de forma intermediária. Será de grande importância, pois será capaz de suprir o mercado local e das regiões vizinhas com ferro, vergalhões, entre outros”, disse o secretário ao comentar que a própria Bemisa garantiu uma cota na assearia.

Fonte: Bemisa

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo

O Piauí vem se destacando cada vez mais em todas as áreas e na internet não poderia ser diferente, o piauiense Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo, atrás apenas do sueco Felix Arvid Ulf Kjellberg, conhecido na internet como PewDiePie. O dado vem de uma pesquisa realizada em junho pela Snack Intelligence, divisão da rede Snack de canais no YouTube que monitora e analisa o mercado audiovisual digital. Segundo o estudo, o Brasil tem outros youtubers no top 10 de influência: Felipe Neto, em terceiro lugar, Julio Cocielo (CanalCanalha), na sexta colocação, e Felipe Castanhari (canal Nostalgia), em sétimo.

Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo

Com a ajuda do software Tubular Labs, a pesquisa leva em consideração métricas como engajamento, visualizações, número de inscritos, frequência de publicação e atividade do canal, entre outras. A cada youtuber foi atribuído um valor que vai de zero a mil, com base nessas métricas.

Ranking da Snack Intelligence colocou Whindersson Nunes como o segundo youtuber
 mais influente do mundo.

Whindersson Nunes se tornou famoso na internet por suas paródias – de Adele a Luan Santana, nada escapa do rapaz de 21 anos. Ele possui mais de 10 milhões de inscritos em seu canal no YouTube, tendo a segunda maior conta brasileira no site, atrás apenas do Porta dos Fundos. Seu sucesso já o catapultou como dublador – ele faz uma das aves pré-históricas em A Era do Gelo 5.

Fonte: (Com informações da Veja)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Nova indústria da ZPE de Parnaíba inicia exportações em 90 dias

A segunda indústria da Zona de Processamento de Exportação do Estado do Piauí (ZPE Parnaíba) começou a receber as primeiras carretas com o maquinário necessário para iniciar o funcionamento dentro de 90 dias.

O presidente da ZPE Parnaíba, Paulo Roberto Cardoso, apontou o fato como mais uma prova de que o sonho dos piauienses de terem a sua ZPE está se concretizando. “Estas conquistas estão sendo possíveis graças à importância que o governador Wellington Dias vem dando à ZPE, criando as condições para a atração de investimentos, como as duas indústrias já existentes”, disse Paulo Cardoso.

ZPE de Parnaíba, nova empresa começou a se instalar no local onde produzirá para exportação

Essa segunda indústria atuará na produção de peletts e briquetes, que são espécies de matrizes energéticas utilizadas em caldeiras nas indústrias e lareiras de residências em diversos países. Até essa quinta-feira (14), já haviam chegado quatro, de um total de 12 carretas, transportando máquinas e equipamentos necessários à produção mensal de 120 toneladas do produto, cuja exportação será feita diariamente pelo porto do Pecém, no Ceará.

Segundo informações de um dos sócios da Ecopellets, o empresário Antônio de Pádua Brito Costa, a nova fábrica promoverá um grande impacto na economia da região e despertará uma nova consciência quanto ao aproveitamento sustentável dos recursos naturais. A matéria prima para a fabricação das matrizes energéticas será a palha da carnaúba logo após o processo de extração do pó destinado à fabricação de cera.

No aspecto econômico, o impacto da nova indústria será na geração de empregos diretos e indiretos, além da injeção de dinheiro no mercado regional.

O presidente Paulo Cardoso ressaltou que esse modelo de atuação da nova indústria se encaixa nos objetivos do Governo do Estado de promover a geração de empregos e riquezas nas regiões em desenvolvimento, como o Norte do Piauí, que, além dos empregos diretos, serão criados centenas de postos de trabalho no campo, fortalecendo a economia familiar.

Antônio de Pádua Brito destacou o apoio que o governo e a Companhia Administradora da ZPE Parnaíba vem dando à implantação de novas indústrias no município. “A gente só tem a agradecer porque essa indústria era para ser instalada no Ceará, mas, devido ao apoio incondicional da ZPE Parnaíba e do Governo do Estado, nós a trouxemos para cá”, reconheceu o empresário.

Pádua agradeceu também à Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi) que, segundo ele, vem dando grande incentivo à instalação dessa segunda indústria no município de Parnaíba.

Fonte: Governo do Piauí

terça-feira, 12 de julho de 2016

A empresa espanhola Elecnor investirá R$ 1 bilhão e construirá usina solar em São João do Piauí

E depois da empresa italiana Enel anunciar o inicio da construção de uma usina de energia solar em Ribeira do Piauí, que será a maior da América Latina e custará cerca de R$ 1 bilhão, o Piauí contará com mais um projeto de usina fotovoltaica no semiárido piauiense, dessa vez o investimento é da Celeo Redes Brasil, subsidiária do grupo espanhol de geração de energia, Elecnor. A concretização da iniciativa aconteceu, nesta quinta-feira (7), durante reunião com representantes da empresa espanhola e o secretário de Estado de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luís Coelho. O investimento total pode superar R$ 1 bilhão.

Grupo espanhol fez estudos e projeto durante dois anos e  agora irá disputar o próximo leilão de energia que será realizado em outubro, a empresa pretende investir R$ 1 bilhão  na que será a segunda maior usina eólica do Piauí, ficando atrás da usina Nova Olinda, que será construída pela italiana Enel  em Ribeira do Piauí / Imagem: Elecnor

A usina será instalada no município de São João do Piauí, que tinha população estimada em 20.146 habitantes em 2015 e fica localizado a 516 quilômetros de Teresina. Depois de instalado, o empreendimento será capaz de gerar 450 GWh por ano, o suficiente para atender as necessidades de consumo de energia anual de 220.000 lares brasileiros. A unidade de produção, no semiárido piauiense, será construída em uma área com altos níveis de radiação solar e contribuirá para atender à crescente demanda do país por energia.

Localização de São João do Piauí, município do sul do estado receberá a segunda maior usina solar do Piauí,
 que custará cerca de R$ 1 bilhão / Imagem: Wikipédia

O secretário de Mineração, Luís Coelho, afirma que a reunião desta quinta concretiza o interesse do grupo espanhol em investir no Piauí. Além do investimento em produção de energia, o estado tem a ganhar com outros benefícios. “Aliado a isso, está a mão de obra gerada pela construção civil para construir essa estrutura, como também a formação de mão de obra especializada em parcerias com a secretaria Estadual de Educação, IFPI, UFPI e com a UESPI, todos esses estão imanados no processo de formação de mão de obra qualificada no estado, que é essa mão de obra que o projeto exige”, informa.

A Celeo Redes Brasil participará do leilão de energia solar que será realizado em outubro de 2016. O executivo do grupo espanhol Elecnor, Marcelo Vinícius, destacou, que a companhia pretende investir recursos superiores a um bilhão de reais. “Nós estimamos que esse projeto, caso ele venha a ser contratado nos leilões de energia realizados pelo governo federal no mês de outubro, estará já no segundo semestre de 2019 gerando mais de 450 GW/hora por ano, volume esse de energia capaz de atender mais de 220 mil lares”, declarou o gerente.

Usina solar construída pela Elecnor em Moore, estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, que possui 223.960 painéis solares em uma área de 191 hectares e produz 70 MW, a usina piauiense será quase sete vezes maior / Imagem: Elecnor

Ainda de acordo com Marcelo Vinícius, há mais de doze meses a Elecnor realiza medições solarimétricas em São João do Piauí. “Hoje, estamos dando continuidade a um projeto que começamos em meados de 2014 onde o grupo Elecnor acreditando no potencial solarimétrico do estado começou seus estudos. O Piauí é um estado privilegiado no recurso solar”, ressalta.

A Elecnor iniciou suas atividades no mercado elétrico do Brasil em 1979 e atua na produção de energias renováveis, com a consolidação de um dos principais complexos eólicos de todo o hemisfério sul, o Parque Eólico de Osório, no estado do Rio Grande do Sul.

Elecnor é uma das empresas responsáveis pelo maior parque eólico do hemisfério sul, o Parque Eólico de Osório, no estado do Rio Grande do Sul / Imagem: Reprodução

Agora, após pesquisas na região de São João do Piauí pretende investir no estado na produção de energia fotovoltaica gerando, durante a construção da nova unidade de produção de energia, mais de mil empregos diretos.

Fonte: (Com informações do Governo do Piauí)

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Nova unidade da Vikstar no Piauí vai gerar 3 mil empregos em Parnaíba

O governador Wellington Dias participou, nesta quarta-feira (06), de agenda em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com o empresário Antonino Nicolodi, presidente da Vikstar Call Centers. A empresa tem filial no Piauí, em Teresina, gerando aproximadamente 4.000 empregos e planeja uma nova unidade na cidade de Parnaíba, no litoral do estado.

Vikstar já opera em Teresina e irá abrir filial em Parnaíba e posteriormente pretende expandir para Picos

A nova filial da Vikstar tem a previsão de gerar 3.000 empregos diretos numa primeira etapa, com perspectivas de chegar a 5.000 empregos em 3 anos. "Gerar emprego é tudo que estamos precisando em Parnaíba e no Piauí, e queremos contribuir para viabilizar esse projeto", afirmou o governador.

O prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, ressaltou o esforço entre o executivo municipal e o legislativo parnaibano para concretizar a iniciativa. "A prefeitura e a Câmara Municipal fizeram sua parte com aprovação de incentivos para atração do investimento. Parnaíba tem rede de fibra óptica com banda larga de alta velocidade, tem o público que mais precisa de empregos nesta área de atendimento via internet, que são os jovens, os estudantes, com a presença ampliada da Universidade Federal, Universidade Estadual, Instituto Federal e faculdades particulares, além de grande rede de ensino médio. Nossa prioridade é gerar emprego e renda", defende Florentino.

Antonino Nicolodi relatou que, em razão da burocracia, demorou muito um financiamento que a empresa pleiteou junto ao Banco do Nordeste e que colocou em risco contratos que a empresa precisa cumprir com seus clientes. "Minha opção é investir no Piauí e aceitamos firmar um protocolo com o Governo do Estado, por meio do Fundo de Investimento da Previdência, onde este investe no prédio cedido pela prefeitura, equipa e nós alugamos", disse o presidente da Vikstar. "Foi assim que fizemos em São Paulo. O que vamos pagar de aluguel é mais do que o Fundo de Previdência recebe em aplicações bancárias", explicou o presidente da Vikstar.

Wellington ressaltou o compromisso do executivo estadual com a iniciativa. "Vamos assinar esse protocolo pelo Programa de Atração de Investimentos do Estado. É um negócio seguro, pois todo o valor investido em prédio e equipamentos é do Estado, por meio do Fundo de Previdência, e que tem uma rentabilidade garantida maior que a atual, o que garante solidez para o fundo e alta rentabilidade. E o melhor, gerando empregos no Piauí", defendeu o chefe do executivo estadual.

Expansão

A Vikstar planeja, no futuro, atuar em mais cidades do Piauí. Dessa vez, a expansão será para o Sul do estado. "A empresa já estudou e aprovou Picos como nova área de expansão", anunciou Antonino Nicolodi.

A equipe técnica do Governo do Estado trabalha, com base na legislação vigente, para celebração do acordo ainda este mês. "A orientação é seguir a lei e não perder este empreendimento no Piauí. E outra notícia boa foi o compromisso da empresa em viabilizar o investimento ainda este ano e estudar a expansão com outro empreendimento em 2017 na cidade de Picos, onde chega a rede de fibra óptica até o fim de 2016.", comemorou Wellington.

"Call Center é uma indústria limpa, que gera muitos empregos, especialmente para a população mais jovem, do primeiro emprego e mais familiarizada com o novo mundo da internet, trazendo dinheiro por cada atendimento de serviços de telefonia, celular, cartão de crédito, dentre outros serviços, de todo o Brasil para o Piauí. Em Teresina, já são 14.000 empregos com 3 empreendimentos. Vamos incentivar a expansão na capital e ampliar também para o Norte e Sul do Piauí", ressaltou o o governador.


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Empresa italiana investe R$ 1 bilhão e começa a construir no Piauí a maior usina de energia solar da América Latina

A empresa italiana de geração de energia, Enel S.p.A, por meio de sua subsidiária Enel Green Power Brasil Participações Ltda, anunciou o início das obras de construção da maior usina solar do Brasil, a Nova Olinda, localizada no Piauí. Quando concluída, será a maior da América Latina, com 292 megawatts em capacidade. O investimento total será de US$ 300 milhões (quase 1 bilhão de reais no câmbio atual), como informou a companhia em comunicado nessa terça-feira (5).

Piauí terá a maior usina solar da América Latina que será construída em Ribeira-PI pela Enel /
Na imagem, o Karadzhalovo Solar Park, na Bulgária, que produz apenas 60 MW, com 214 mil painéis fotovoltaicos  e ocupa uma área de 100 hectares, equivalente a 100 campos de futebol. O do Piauí terá capacidade para gerar 292 MW e ocupará uma área de 690 hectares.

A usina será instalada no município de Ribeira do Piauí, que tem apenas 4.381 habitantes e fica  localizado a 377 quilômetros de Teresina, na microrregião do Alto Médio Canindé. Depois de construída, a Nova Olinda ocupará uma área de 690 hectares e terá capacidade instalada total de 292 MW. O empreendimento será capaz de gerar mais de 600 GWh por ano, o suficiente para atender as necessidades de consumo de energia anual de cerca de 300.000 lares brasileiros, evitando a emissão de cerca de 350.000 toneladas de gás carbônico (CO2) para a atmosfera. A unidade de produção será construída em uma área com altos níveis de radiação solar e contribuirá para atender a crescente demanda do país por energia.

Localização de Ribeira do Piauí, município onde será construída a usina solar da Enel
e que será a maior da América Latina / Imagem: Wikipédia

A Enel ganhou o leilão da energia solar realizado em agosto de 2015. O governador Wellington Dias, antes mesmo do leilão, acompanhou os investimentos em energia no Piauí e realizou viagens à Itália e Alemanha para conhecer projetos e conversar com o empresariado local do setor. "Essa iniciativa faz parte do nosso projeto de trabalhar muito e produzir o que o Brasil precisa: energia, alimentos, bons serviços e gerar emprego e renda fazendo a economia crescer. O Piauí está pronto para esta tarefa e estamos trabalhando para ampliar investimentos e gerar emprego e renda para a população", afirma o chefe do executivo estadual.

O gerente da Enel para o Brasil, Carlo Zorzoli, destacou, por meio de nota, que a companhia pretende continuar investindo para crescer de maneira sólida no setor de energia no país. "O governo brasileiro tem desenvolvido um processo atrativo e bem estruturado de leilões e temos construído o nosso sucesso com base na tecnologia líder de mercado, excelência em financiamento e reputação", declarou o gerente.

Wellington Dias destacou os demais investimentos realizados no Piauí. "Somando os investimentos como esse da Enel, em energia solar; do Grupo Votorantin em energia eólica - com cerca de 3,6 bilhões de reais também em andamento; do Grupo Tomazini, da Terracal, do Ouro Branco e da Portugal Gás e Petróleo, teremos bilhões de investimentos e mais empregos”, ressalta o governador, ao destacar que também já está acertada a instalação do grupo Aurora, Alfa e Minasmel (os três na produção de alimentos), Budny (tratores e implementos) e uma nova base da Vickstar em Parnaíba.

Fonte: (Com informações do Governo do Piauí e da Enel)

Piauí Loterias lança nova plataforma de jogos online, a Lotoshow

A Piauí Loterias lançou uma nova plataforma de sorteios com transmissão ao vivo pela internet, a Lotoshow.com. A primeira exibição foi feita nessa segunda-feira (4), no estúdio montado na Escola Fazendária. A Lotoshow.com possui três modalidades de apostas, uma com prêmios instantâneos no formato de raspadinha, denominada Raspe Show; e outras duas modalidades com sorteios de prognósticos, que são aquelas que envolvem uma combinação numérica, denominadas de Super 26 e Bilhete Tradicional.

Estúdio da Lotoshow, nova plataforma de jogos da Piauí Loterias / Foto: Governo do Piauí

No Bilhete Tradicional, o apostador cria seus próprios palpites escolhendo os algarismos para formar uma milhar, uma centena, uma dezena, uma dupla de dezena ou um terno de dezena. Em cada sorteio, serão extraídos 5 prêmios, a serem sorteados ao vivo via internet na seguinte ordem: 5º prêmio, 4º prêmio, 3º prêmio, 2º prêmio e 1º prêmio, respectivamente. Ao ser premiado, o apostador pode ganhar até 7 mil vezes o valor apostado.

Diferente do Bilhete Tradicional, na Super 26, o jogador cria seus próprios palpites escolhendo uma simples dezena, duas ou três dezenas para serem sorteadas em um universo de 26 dezenas. Ao ser premiado, o jogador pode ganhar até 160 vezes o valor apostado.

Os sorteios serão realizados com total transparência por meio de sorteadoras automáticas (Globos) ou randômicos, com o acompanhamento de auditores e a presença do público, cinco vezes ao dia (11h20,14h20,16h20,19h00 e 21h20), e serão transmitidos ao vivo pela internet, para que o apostador possa acompanhar e torcer.

Para jogar na Lotoshow.com, basta um simples cadastro na plataforma online disponibilizada no site. A Piauí Loterias disponibiliza uma Central de Atendimento onde são tiradas as dúvidas dos apostadores por meio do 0800 887 0923 ou do chat online. Feito o cadastro, o apostador adquire créditos que podem ser pagos por meio do cartão de crédito e débito. O passo seguinte é escolher a modalidade de aposta.

Segundo o diretor da Piauí Loterias, Otávio Learth, com a Lotoshow.com, a exploração do serviço lotérico será uma nova fonte de receita para os cofres públicos, além de fomentar setores sociais imprescindíveis para o bem-estar da sociedade. “Do montante que será arrecadado nos jogos, 70% em média serão convertidos em prêmios para os apostadores, e os outros 12% serão para o Estado retornar para a população em forma de obras sociais, com uma estimativa de 20 milhões de reais por ano”, declarou o diretor.

A nova plataforma de sorteios terá transmissão ao vivo pela internet / Foto: Governo do Piauí

Os recursos arrecadados com a loteria serão destinados ao desenvolvimento socioeconômico da população piauiense, principalmente nas áreas da cultura e esporte. No próximo dia 18, às 16h, entra em funcionamento a Central de Desenvolvimento Socioeconômico, que será responsável pelo planejamento, monitoramento e pela transparência da aplicação dos recursos, visando maior controle por parte da sociedade e dos órgãos de controle e ainda uma maior isenção na aplicação desses recursos.

No dia 18 de julho, o governador Wellington Dias fará uma visita ao estúdio da Lotoshow.com, onde conhecerá de perto como funciona a nova plataforma de sorteios. Quando lançou a Piauí Loterias, o chefe do executivo estadual disse que o novo formato gera mais transparência, já que os recursos são geridos pelo Estado. "Retomamos a loteria em um formato moderno, com transparência, e que permite uma maior fiscalização dos órgãos de controle”, afirmou o gestor.

Para o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles, o faturamento da Lotoshow pode superar os R$ 150 milhões. “Em 12 meses de arrecadação com as apostas, a Lotoshow.com pode gerar R$ 20 milhões por ano para serem investidos em saúde, educação, esporte e segurança. Assim como a população abraçou a Nota Piauiense, já está abraçando também a Lotoshow e contribuindo com o engrandecimento do Estado”, declarou Fonteles.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Grupo Budny instalará em Campo Maior (PI) uma montadora de máquinas agrícolas; Investimento será de R$ 30 milhões

Em viagem de negócios em Santa Catarina, o governador Wellington Dias esteve no município de Içara nesta sexta-feira (01), onde firmou protocolo de instalação de uma montadora de máquinas agrícolas no Piauí.

O Grupo Budny montará em Campo Maior (PI) uma fábrica de pequenos tratores para a agricultura familiar. O investimento inicial está previsto em R$ 30 milhões, com geração de 200 empregos diretos. Além de fornecer maquinário para o mercado interno, aproveitando a vocação do Piauí para a agricultura familiar, a empresa deve se aproveitar da posição geográfica estratégica para atingir novos mercados.

Unidade de fabricação de tratores da  Budny em Içara-SC, o grupo catarinense, que produz tratores e implementos agrícolas, irá instalar uma unidade para produzir micro tratores e implementos agrícolas na cidade de Campo Maior
Imagem: Budny

"O Piauí está localizado no Nordeste, entre o norte e Centro Oeste. Temos nesta região uma tradição da agricultura familiar, mas boa parte ainda trabalha com a enxada. Temos programas de incentivo a qualificação e uso de tecnologias modernas para ampliar produção e renda. E vamos aperfeiçoar para um programa de atração da indústria de tratores e implementos agrícolas", destacou o governador Wellington Dias.

A Budny oferece kit com mini trator, roçadeira e arador a um custo de R$ 30 mil. Fabrica tratores de 25 a 105 cavalos e seus implementos. O maior trator custa cerca de R$ 150 mil. A marca produz também um modelo de patrol vendido por R$ 200 mil.

Budny investirá cerca de R$ 30 milhões na instalação de fábrica em Campo Maior para produzir micro tratores e implementos agrícolas, o investimento deve gerar 200 empregos diretos / Imagem: Budny

A diretoria da empresa vem estudando a expansão para o Piauí há 2 anos. Agora com o protocolo, as partes assumiram suas obrigações e a meta até 2018 é alcançar o objetivo traçado: tratores e equipamentos do Piauí para o Nordeste, Norte e Centro Oeste do Brasil.

"Em trinta dias vamos apresentar nosso cronograma. Começamos abrindo uma pessoa jurídica e iniciamos pela montadora até a fábrica", disse Carlos Budny, diretor da empresa.

A prefeitura de Campo Maior liberou para a empresa uma área de 13 hectares, próximo à BR 343 e a subestação de energia. O governo garantiu os incentivos fiscais.

"A Budny já vende produtos de Santa Catarina para o Piauí. Agora queremos a produção no Piauí", disse o prefeito de Campo maior, Paulo Martins.

Wellington visita a indústria Mi

A missão liderada pelo governador Wellington Dias também conheceu a Minamel, maior indústria exportadora de mel do Sul do Brasil e a segunda do Brasil. A diretoria da empresa está decidida a criar uma base no Nordeste do Brasil e o governador apresentou proposta para que o local escolhido seja o Piauí.

Fábrica da Minamel  em Içara-SC, empresa catarinense quer se instalar no Nordeste 
e o governo do Piauí fez proposta para a instalação no Piauí / Imagem: Minamel

"Vim aqui demonstrar nosso total interesse em ver esse empreendimento no Piauí. A experiência da Minamel como industrializadora e exportadora de mel para o Brasil e para o mundo se somará ao setor competitivo que já temos", ressaltou Dias.

O Piauí já integra lista de fornecedores da Minamel. A empresa importa mel orgânico principalmente da região de Picos. A qualidade do produto é um diferencial que pode contar na escolha.

"Conheço o Piauí, compramos mel de boa qualidade. Apesar da distância, somente este ano já compramos mais de 300 toneladas. Vamos visitar para apresentar uma proposta", disse Guilherme Castagna, diretor da Minamel.

Fonte: (Texto adaptado do site do Governo do Piauí)