segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

ICMBio renova parceria com a Fumdham e deve repassar R$ 950 mil para manutenção da Serra da Capivara em 2017

 Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) renovou, nesta segunda-feira (19), o termo de parceria com a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) para a manutenção da gestão compartilhada no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí.

O Parque Nacional Serra da Capivara enfrenta problemas financeiros devido a falta de repasse de recursos
pelo governo federal

A parceria prevê o repasse, já em janeiro de 2017, de R$ 970 mil à Fumdham. Os recursos, oriundos de compensação ambiental, deverão ser aplicados em pesquisa, manutenção dos sítios arqueológicos e gestão do parque. O termo de parceria havia sido suspenso no ano passado

“O ICMBio reconhece a importância estratégica da parceria com a Fumdham na co-gestão do parque e tem total interesse na manutenção da cooperação histórica”, disse o presidente Soavinski, ao confirmar que recebeu todo o apoio do ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, para a renovação do acordo.

O ministro do Meio Ambiente Sarney Filho, assim que assumiu o cargo no começo do governo Temer, fez uma visita surpresa a Serra da Capivara e se comprometeu a ajudar na manutenção do parque.

A parceria com a Fumdham começou em 2010. Desde então, o Instituto fez repasse de R$ 5,6 milhões à fundação. Em outubro de 2015, no entanto, o contrato teve a vigência encerrada. Tão logo a nova direção do Ministério do Meio Ambiente e ICMBio tomou conhecimento do fato, iniciou as negociações para contornar o impasse, o que ocorre agora.

Fiscalização

O ICMBio mantém quadro de servidores efetivos e terceirizados no parque, que cuidam das ações de proteção, fiscalização, monitoramento, combate a incêndios florestais e outras ações técnico-administrativas.

Para isso, investe, em média, R$ 2,5 milhões por ano de verbas orçamentárias. De 2010 para cá, o Instituto aplicou R$ 11 milhões na unidade, além dos 5,6 milhões repassados à Fundação Museu do Homem Americano nesse mesmo período.

Fonte: Governo Federal, ICMBIO

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CSN investirá R$ 540 milhões em projeto agroflorestal que irá gerar 5 mil empregos no sul do Piauí

O Piauí segue atraindo cada vez mais investimentos e dessa vez foi a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) quem apresentou projeto de investimento no estado. Em reunião, nessa segunda-feira (28), com o Governo do Piaui, no Palácio de Karnak, apresentou projeto que pode resultar na geração de 5 mil empregos na região Sul do estado. Trata-se de projeto integrado agroflorestal a ser desenvolvido em área correspondente a 175 mil hectares, abrangendo os municípios de Floriano, Jerumenha, Nazaré do Piauí, Canavieira, Itaueira, Pavussu e Uruçuí.

CSN quer investir R$ 540 milhões e gerar cerca de 5 mil empregos em projeto agroflorestal no Piauí


O projeto prevê a instalação de um componente agrícola localizado em Urucuí, com 44 mil ha, além de um componente florestal situado em Floriano, com 131 mil ha. Inicialmente, o plano é de que as terras sejam utilizadas para plantio de soja e eucalipto.

“Estamos acertando uma pactuação para qualificação de mão de obra nessa região. Queremos piauienses ocupando essas vagas que vão surgir e toda nossa equipe abraçando como um projeto do Piauí”, declarou o governador Wellington Dias.

Reunião entre representantes da CSN com o governador Wellington Dias

A CSN tem a estimativa de investir R$ 540 milhões nos empreendimentos, sem contar o valor já utilizado na compra das terras. Cerca de 105 mil hectares já foram adquiridos ou estão em fase de aquisição. No momento, a companhia está resolvendo questões burocráticas relacionadas ao licenciamento do projeto.

“Tem uma série de possibilidades na parte de geração de energia, desenvolvimento de produtos derivados da madeira, geração de grãos, óleos e outros produtos alimentares”, explicou Davi Salama, diretor-executivo da CSN.

Governo anuncia a retomada das obras da Transnordestina

A notícia da retomada das obras da Transnordestina animou os investidores. As terras adquiridas ficam em um raio de 30 a 40 quilômetros da ferrovia, que deve se configurar no principal canal de escoamento conjunto da produção, por meio dos portos de Pecém e Suape, no Nordeste.

Representantes da CSN também informaram ao governador a retomada das obras da ferrovia Transnordestina

A resposta do Governo do Piauí ao projeto empolga os executivos da CSN. “Muito importante esse trabalho conjunto com a iniciativa pública. Trabalhando juntos. Conseguimos maximizar os resultados do projeto. Agradeço mais uma vez ao governador Wellington Dias e sua equipe pela receptividade dada ao projeto”, completou Salama.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Empresa espanhola quer instalar fábrica de torres eólicas e gerar mais de mil empregos no semiárido do Piauí

Com a expectativa de ser a primeira fábrica de torres de energia eólica no estado do Piauí, a empresa Acciona apresentou, nessa terça-feira (1º), o projeto de produção ao Governo do Estado do Piauí. A iniciativa tem como objetivo a fabricação e comercialização de torres eólicas, que dará suporte a outras empresas que já comercializam energia renovável gerada pelo vento.

Acciona, grupo espanhol atua na construção e energias renováveis e quer instalar no interior do Piauí 
uma fábrica de torres eólicas para abastecer os parques eólicos
 que estão sendo construídos no  semiárido / Imagem: Divulgação

A empresa pretende se instalar nos municípios de Lagoa do Barro e Queimada Nova, com projeto para atender outras cidades da região. “A perspectiva da Acciona é de abrir uma fábrica que seja o dobro das demais, que sai de uma produção de duas torres a cada 15 dias e irá passar para quatro torres no mesmo período. Com a instalação, serão empregados, de imediato, 500 pessoas e posteriormente mais mil”, destaca Lucile Moura, diretora de Atração para Investimentos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet).

Lucile acrescenta ainda que a fábrica já atende a Casa dos Ventos, na Bahia, levando torres de uma indústria que fica localizada no Rio Grande do Norte, andando em torno de mil quilômetros e que, com a sua instalação no Piauí, esse percurso será reduzido pele metade do que se é executado, tornando-se o melhor acesso.

Representantes da Acciona se reuniram com o Governo do Estado para apresentar o projeto de implantação da fábrica de torres eólicas no estado / Imagem: Divulgação

Para a instalação da Acciona, a Sedet, por meio da Diretoria de Atração para Investimentos, irá criar um protocolo de intenções para saber as requisições da empresa, bem como o acesso a água, estrada, rede elétrica, hotelaria, mão de obra qualificada para a fábrica de torres e concreto, operação e manutenção, entre outros.

“Como fala o governador, esse é um projeto que deixa de ser da empresa e passa a ser do Governo do Estado do Piauí. E o nosso papel é acompanhar a implantação dessas ações. É um empreendimento que muito nos agrada, já que é o primeiro empreendimento que faz parte do implemento das fontes de energias renováveis como a eólica, porque a gente tem a produção de energia, mas tudo vem da Bahia e agora produziremos aqui com essa empresa”, finalizou a diretora da Sedet.

A Acciona

A ACCIONA é um conglomerado empresarial espanhol que atua em áreas de construção e energias renováveis. A empresa está no Brasil desde 1996 e emprega no país mais de 3 mil funcionários. Dentre os principais empreendimentos no Brasil  estão as obras do Terminal T2 do Porto do Açu, em São João da Barra e a rodovia federal BR-393, ambas no estado do Rio de Janeiro, e o anel viário Rodoanel Mario Covas em São Paulo.

Fonte: Governo do Piauí e Acciona

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Piauí é o estado menos violento do Nordeste e o quarto do Brasil

O Piauí é o estado mais seguro do Nordeste, de acordo com dados publicados pelo 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. De 2014 para 2015, houve uma redução de 9,4% do número na taxa de mortes violentas letais por 100 mil habitantes.

Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o Piauí é o quarto estado menos violento do país, em 2015 no estado foi registrada uma taxa de 20,8 mortes por 100 mil habitantes / Imagem: Divulgação

Comparado aos demais estados das outras regiões, o Piauí aparece como o quarto mais seguro do Brasil, empatado com Minas Gerais, com uma taxa de 20,8 mortes por 100 mil pessoas em 2015. Já em 2014, o Piauí aparecia como o quinto mais seguro, com 23 mortes por 100 mil habitantes, e Minas Gerais, o quarto colocado, com 21,3 mortes por 100 mil.

Segundo o secretário de Estado da Segurança, Fábio Abreu, os resultados se devem a um planejamento da atual gestão em combater os crimes nas regiões com maior incidência de violência. “Diariamente, fazemos o monitoramento das ocorrências e das áreas e fazemos o planejamento do policiamento ostensivo e investigativo, por meio de parceria entre as instituições de segurança”, afirma Abreu, declarando ainda que as Polícias Militares e Civis do Piauí possuem homens comprometidos com a segurança pública.

As estatísticas são referentes a homicídios dolosos, latrocínios e mortes com algum tipo de intervenção. Os dados foram publicados pelo Fórum Nacional de Segurança Pública, que detém a autoria do anuário. Em primeiro lugar, aparece São Paulo como o estado mais seguro do país com apenas 11, 7 mortes por 100 mil habitantes. Os estados de Santa Catarina e Roraima surgem com taxas de 14,3 e 18,2, respectivamente.

Infográfico G1

Os três estados mais violentos do Brasil são do Nordeste, no caso Sergipe, com 57,3; Alagoas, com 50,8; e Rio Grande do Norte, com registro de 48,6 de mortes violentas e intencionais por 100 mil pessoas. Clique aqui para conferir os dados completos.

Fonte: Com informações do Governo do Piauí

sábado, 29 de outubro de 2016

Governo e Caixa discutem financiamento de R$ 5 bilhões para realização de obras no estado

O governador Wellington Dias se reuniu com o vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal, Nélson Antônio Souza, nesta sexta, 28. Na ocasião, ambos assinaram o termo de cooperação para os estudos de viabilidade de projetos e garantia de financiamento de cerca de R$ 5 bilhões para Parcerias Público-Privadas (PPPs) investirem em diversas áreas.

 O Porto de Luis Correia é uma das obras que podem receber financiamento para terminar sua construção através de uma PPP(Parceria Público-Privada) / Imagem: Morais Brito

Os projetos apresentados incluem a modernização do metrô de Teresina através da instalação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), a universalização do saneamento básico do interior do estado, aeroporto de Teresina, Porto de Luís Correia, Ferrovia Meio Norte e Rodovia Transcerrados. “Temos trabalhado na estruturação de diversos projetos de PPPs, que são essenciais para a promoção do desenvolvimento econômico”, pontuou o governador.

Governo e Caixa discutem financiamento de cerca de  R$ 5 Bilhões para obras em PPP(Parceria Público-Privada) / Imagem: Divulgação

No encontro, ficou acertado ainda a criação de um grupo de trabalho para atuar de forma integrada a área da construção civil, com a Caixa Econômica e os órgãos do Estado. “Precisamos de uma condição incentivadora, com redução de custos e/ou de burocracia para que trabalhemos em dois grandes projetos”, destacou Wellington Dias.

Os projetos são O Minha Casa, Minha Vida 3, para a faixa de renda de famílias que ganham 1,5 salários mínimos por mês e o programa de financiamento de material de construção para as famílias que queiram ampliar e reformar suas casas.

“Acertamos ainda um cronograma para um contrato de empréstimo, algo em torno de R$ 300 milhões, voltados para infraestrutura”, atentou o vice-presidente, Nélson Antônio Souza.

A rodovia Transcerrados também está entre as obras que podem receber o financiamento, a rodovia fica no sudoeste do Piauí, região onde se concentra a maior parte da produção agrícola do Piauí, os produtores sofrem com as péssimas condições da rodovia, atualmente apenas cerca de 50 kms estão asfaltados, outros cerca de 117 estão em obras, o restante deve entrar no programa de PPP / Imagem: G1

Nomeada como coordenadora do grupo de trabalho, a vice-governadora Margarete Coelho planeja solucionar os entraves que dificultam os investimentos no setor da construção civil. A grande dificuldade que temos no desenvolvimento de determinados setores é esse encontro entre a disponibilidade de recursos a serem investidos na área e o trajeto que o empresário tem que percorrer ate chegar ao empréstimo. Este grupo de trabalho irá procurar soluções a fim de que a construção civil do estado possa, através desses investimentos, produzir mais, e gerar emprego e renda”, esclareceu.

Na próxima terça-feira, 1º, Wellington se reunirá com o presidente Michel Temer para dialogar diversos pontos, dentre eles, a necessidade de medidas para ampliar investimentos públicos, através da continuidade de obras, novas obras, garantia de crédito ao setor público e privado e de uma política de redução de juros.

Fonte: Com informações do Governo do Piauí

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Empresas japonesas devem investir R$ 1 bilhão em um complexo agroindustrial no Piauí

Uma parceria entre o Piauí e o Japão pode garantir a aplicação de investimentos na ordem de R$ 1 bilhão para a implantação de um complexo agroindustrial de abate de frangos e derivados no Piauí. Empresas multinacionais, dentre elas a Mitsubishi, estudam fazer o investimento junto ao grupo Tomazini, que já investe há mais de 10 anos no Estado na área do agronegócio de avicultura. Para isso, o governo está estabelecendo diálogo constante com investidores do Japão, a fim de garantir tais tipos de transações entre o país e o Estado.

Aiichiro Matsunaga, presidente da Câmara do Comércio Japão/Brasil, disse ter mudado sua concepção sobre o Piauí após conhecer as potencialidades do estado / Foto: Governo do Piauí

O potencial econômico do Piauí tem chamado a atenção de investidores por todo o mundo. Os próximos a empreender e apostar no estado serão os empresários japoneses, que se mostram interessados em investir em diversas áreas, dentre elas a mineração, energia eólica e solar, agronegócio, infraestrutura, saúde, educação e turismo.

No mês de setembro, os investidores do Japão estiveram focados em conhecer as possibilidades de negócios que o Piauí oferece e se surpreenderam. “Tive que rever todas as minhas concepções sobre o Piauí. Vamos fortalecer as relações entre Brasil e Japão, através das relações com o Piauí, pois é um estado que tem muito a oferecer e crescer”, declarou o presidente da Câmara do Comércio Japão/Brasil, Aiichiro Matsunaga, durante evento realizado neste mês para a apresentação das potencialidades piauienses.

Uma das áreas que chamou bastante atenção foi a do agronegócio. No Piauí, o grupo Tomazini já investe há 10 anos na produção de grãos e pretende expandir o negócio, o que despertou o interesse de algumas empresas japonesas, dentre elas a Mitsubishi.

Fazenda Serra Branca, em Uruçuí, pertence ao Grupo Tomazini, que pretende fazer parceria com os japoneses na implantação do projeto de um grande complexo agroindustrial no Piauí e
 que já está em fase de implantação

Para que possam conhecer de forma efetiva no que pretendem investir, os empreendedores virão novamente ao Piauí. Em outubro, haverá uma visita às instalações do grupo Tomazini no município de Uruçuí, onde atualmente trabalham com a produção de frangos. “Os japoneses gostam de ver, de presenciar e sentir o desenvolvimento do negócio, mas já demonstraram total interesse pelo empreendimento, tanto para fazer uma sociedade, quanto para investir em equipamentos”, pontuou o consultor da Fundação Getúlio Vargas, Joaquim Bezerra.

A expansão do empreendimento resultará na potencialização da exportação e abastecimento do mercado do Norte e Nordeste, além da geração de mais de 6 mil empregos. Hoje, a empresa possui quase 140 mil hectares, dos quais 40 mil estão em fase de operação, e geram 7 mil empregos diretos e indiretos.

O intercâmbio bilateral entre os empresários piauienses e japoneses é intermediado pelo Governo do Estado, o que possibilita, de acordo com o governador Wellington Dias, melhor organização e planejamento. “Temos o desafio de fazer a economia crescer, gerando mais emprego e renda. Os empreendimentos estrangeiros são ótimas oportunidades e o nosso papel é canalizar bons investimentos para o estado”, destaca o chefe do executivo.

sábado, 17 de setembro de 2016

Japoneses se impressionam com potencialidades do Piauí e estudam investir no estado

Empresários e investidores japoneses ficaram impressionados com as potencialidades piauienses apresentadas nesta sexta (16), durante evento realizado pela Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil em parceria com o Governo do Piauí. O presidente da Câmara do Comércio Japão/Brasil, Aiichiro Matsunaga, disse que foi fantástica a apresentação feita pelo governador Wellington Dias e que isso fez ele mudar a concepção que ele tinha sobre o Piauí.

O governador do estado Wellington Dias participou da apresentação das potencialidades do Piauí na Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil / Foto: Governo do Piauí

“O Piauí não é um dos maiores estados do Brasil, mas é cheio de oportunidades. Fiquei impressionado com tudo que o Piauí tem realizado. Vejo as transformações que estão acontecendo no Piauí e me lembro do que aconteceu em Singapura, que era um local que investiu com planejamento e se tornou bastante desenvolvido. O vídeo e tudo que o governador mostrou destacou que o Piauí é fantástico”, declarou Matsunaga. “Tive que rever todas as minhas concepções sobre o Piauí. Estou impressionado e vamos sim formular uma missão e uma delegação empresarial para visitar esse estado. Vamos fortalecer as relações entre Brasil e Japão, através das relações com o Piauí”, complementou.

Evento que divulgou as potencialidades do Piauí para investidores japoneses foi realizado pela Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil em parceria com o Governo do Piauí / Foto: Governo do Piauí

O governador Wellington Dias disse que o encontro foi melhor do que o esperado. “Viemos apresentar as oportunidades e possibilidades de negócio existentes no Piauí e já saímos daqui com algumas ações encaminhadas. Os investidores ficaram interessados e vamos preparar todo um plano de negócio para que eles efetivem os empreendimentos. Já marcamos uma visita de uma missão japonesa ao Piauí e vamos canalizar bons e grandes investimentos para o estado”, afirmou.

Piauí impressionou japoneses, que agora estudam investimentos no estado / Foto: Governo do Piauí

O encontro realizado pela Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil apresentou a vários empresários e investidores japoneses as potencialidades do Piauí em sete áreas: Mineração, Agronegócio, Saúde, Infraestrutura, Educação, Turismo e Energia Eólica e Solar. Secretários do governo e técnicos das áreas apresentadas também estiveram no evento para tratar dados técnicos e aprofundar as informações sobre possíveis negócios no estado. Além dos temas em destaque, também foi abordado o plano de Parcerias e Concessões desenvolvido pelo Governo do Estado.

Fonte: Governo do Piauí

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Granja em Valença produz mais de 130 toneladas de carne de frango por mês e 200 mil ovos por dia e é a maior do Piauí

Localizada ao sul de Teresina, a 216 km da capital, Valença é uma cidade de pouco mais de 20 mil habitantes, lá está localizada a Granja Moreira, criada em 1988 ela é a maior produtora de ovos do Piauí e abastece o estado com ovos e frangos com alta qualidade de produção.

Granja Moreira, em Valença, é a maior produtora de ovos do Piauí / Foto: Portal V1

De propriedade do empresário Carlos José Moreira, ela produz 136 toneladas de carne de frango por mês e 200 mil ovos por dia, utilizando tecnologia de ponta e gerando 105 empregos diretos e mais de 200 empregos indiretos.

Corredor em um dos galpões de produção de ovos da Granja Moreira / Foto: Portal V1

A Granja tem a sua capacidade de acomodação e desenvolvimento totalmente automatizada, desde a fabricação de ração, alimentação, água e a refrigeração com temperatura ambiente controlada por computadores de última geração que fazem o monitoramento de todas as etapas de crescimento dos frangos, propiciando a produção de frangos e ovos com alta qualidade.

Central de classificação de ovos / Foto:  Granja Moreira

Não satisfeito com o grande sucesso alcançado pela Granja Moreira e sendo sempre inovador, além do planejamento de novos galpões e novas tecnologias, o empresário engatilha um novo projeto, que é investir em energia solar. O projeto deve absolver um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões de reais.

A Grande Moreira segue fazendo investimentos em ampliação e qualidade, esse novo galpão que está em construção tem capacidade para abrigar mais de 20 mil frangos /  Foto: Granja Moreira

“Esse projeto ele é interessante porque além de atender a demanda das nossas atividades, iremos vender energia para a concessionária”, finalizou.

A Granja Moreira é um grande exemplo de como o empreendedorismo pode transformar o Piauí em um estado cada vez mais rico e desenvolvido.

Fonte: Alepi, Portal V1, Valença News e Granja Moreira

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Pesquisadores da UFPI e da UFRGS descobrem floresta fóssil de mais de 245 milhões de anos em Altos(PI)

Uma equipe formada por pesquisadores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), descobriram uma nova ocorrência de plantas fósseis, localizada no município de Altos (PI). Denominado Sítio Paleobotânico São Benedito, os troncos petrificados encontrados no local são da Era Paleozóica(entre 542 milhões e 245 milhões de anos atrás) e possuem a mesma idade da Floresta Fóssil do Rio Poti, em Teresina.

Um buritizal no caminho para a floresta fóssil de Altos / Foto: UFPI

Segundo o pesquisador da UFPI, Prof. Dr. Juan Carlos Cisneros, a descoberta é de grande relevância para o Estado do Piauí. “Trata-se de um sítio paleontológico, uma floresta fóssil que enriquece bastante o patrimônio do Piauí e do Brasil. Este sítio constitui uma fonte de estudos através dos quais aprenderemos mais sobre o passado remoto do Brasil”, declara.

Tronco petrificado de uma árvore na floresta fóssil de Altos / Foto: UFPI

A floresta caracteriza-se por apresentar uma significativa quantidade de troncos gimnospérmicos de grande porte, medindo até 1,80 m de diâmetro. Por meio do estudo, foram catalogados mais de 70 troncos fósseis, configurando-se, provavelmente, a maior concentração de troncos permineralizados registrada para o Estado.

Tronco petrificado na floresta fóssil de Altos / Foto: UFPI

Com o devido planejamento, a Floresta Petrificada de Altos pode se tornar uma atração turística para o Piauí e também gerar um retorno para a comunidade local. Para isso ela deverá ser dotada com a devida infraestrutura e serviços básicos ao visitante, assim como proteção legal e fiscalização para garantir a conservação dos seus fósseis.

Tronco petrificado de grande porte em posição horizontal na floresta fóssil de Altos / Foto: UFPI

O estudo realizado pelos professores da UFPI e da UFRGS foi publicado na revista Pesquisas em Geociências e pode ser acessado clicando no link.

Fonte: UFPI

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Estimativa do IBGE diz que população do Piauí em 2016 é de 3,2 milhões de habitantes

O Diário Oficial da União publicou nesta terça-feira (30) a estimativa da população brasileira no ano de 2016. Os dados mostram que a população do Piauí aumentou em 8.152 pessoas entre 2015 e este ano, totalizando 3.212.180. O Brasil saiu de 204.450.649 para 206.081.432 habitantes.

Teresina tinha no ano passado 844.245 habitantes e este ano foram contabilizados 847.430. Uma diferença de 3.185 pessoas. Parnaíba é a segunda cidade mais populosa do Piauí, com 150.201, e Picos a terceira tendo 76.749 moradores.

Já Miguel Leão (1.231), Santo Antônio dos Milagres (2.120) e Olho D'Água do Piauí (2.409) são os três municípios com as menores populações do estado.

O estado de São Paulo é o mais populoso, com 44.749.699, seguido por Minas Gerais (20.997.560) e Rio de Janeiro (16.635.996). O estado com a menor população é Roraima, que tem 514.229 habitantes.

Lista de cidades do Piauí com sua respectiva população(da maior para a menor):

Estimativa populacional do Piauí em 2016

Fonte: G1

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Sarney Filho, Ministro do Meio Ambiente, anuncia liberação de R$ 1 milhão para o Parque Serra da Capivara

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, divulgou hoje uma nota afirmando que fez um repasse emergencial de R$ 1 milhão, proveniente do orçamento da pasta, para o Parque Nacional Serra da Capivara. A unidade de conservação, localizada em Raimundo Nonato (PI), amanheceu com as portas fechadas depois que os funcionários da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), que administra o local, foram mandados para casa por falta de repasse de verba federal.

Parque Nacional Serra da Capivara, o lugar  passa por dificuldade devido a falta de recursos  / Foto: Flavio Veloso

Por ser um parque nacional, a gestão do parque cabe ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que compartilha com a Fundham, mas o termo de parceria entre as duas entidades venceu no ano passado e ainda não foi renovado. Uwe Felipe Weibrecht, que atua como chefe do parque por parte do ICMBio, informou ao Estado que nesta manhã guardas-parque, que normalmente atuam como vigias da área para inibir caça ilegal e invasões, foram colocados nas guaritas para permitir o acesso dos turistas. A entrada, porém, não está sendo cobrada.

O repasse tampouco deve resolver essa situação. Ao Estado, o presidente do ICMBio, Rômulo Mello, concedeu entrevista ao Estado. Ele afirmou que a verba liberada em medida emergencial pelo Ministério do Meio Ambiente será usada somente para o pagamento de vigilantes terceirizados contratados pelo ICMBio (os guardas-parque mencionados acima). Segundo Mello, eles estão com salário atrasado há quatro meses. A Fundham, portanto, não será beneficiada neste momento.

“Temos um acordo de gestão compartilhada, mas estamos com dificuldade para viabilizar essa parceria porque não estamos conseguindo recursos (disse em referência à verba bloqueada pelo TCU). Não temos verba para destinar. Estamos tentando encontrar alternativas.”

Na terça-feira, por meio de nota, o órgão afirmou que R$ 969 mil, oriundos de compensação ambiental e destinados à renovação da parceira, estão bloqueados na Caixa Econômica Federal por decisão de acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU). “Se esse 1 milhão chegar vai ser uma maravilha, mas só vou comemorar quando chegar.”

Ele afirmou também que vai tentar viabilizar R$ 300 mil para um convênio com a Fundham por meio de emenda parlamentar, mas não disse quando nem por meio de qual deputado.

Questionado sobre em quanto tempo ele pretende resolver a situação, respondeu apenas: “Lamentavelmente não tem prazo.” Disse que até isso ser resolvido o parque vai funcionar nesse esquema de emergência com os vigilantes.

Enquanto isso, os funcionários da Fundham não devem retornar. A arqueóloga Niède Guidon, que coordena a Fundham, ainda bastante abalada, relatou que os funcionários estão desesperados com a ideia de ficar sem emprego. “Não tem ninguém lá. Os guardas-parque estão fazendo isso, mas eles não podem trabalhar dia e noite”, ponderou. E as funções deles ficam abandonadas, como o controle da caça.

Pela manhã, Niède conta que recebeu uma ligação de Mello, que teria dito que não tinha como renovar o contrato porque não tinha verba para repassar.

Fonte: Estadão

sábado, 13 de agosto de 2016

Guitarrista piauiense ganha prêmio internacional na Espanha

O músico piauiense Josué Costa recebe neste sábado (13) o prêmio “Andres Segovia”. A premiação o consagra como melhor guitarrista do curso de música de Santiago de Compostela, na Espanha.

O músico piauiense Josué Costa conquistou o prêmio “Andres Segovia” na Espanha

Em mensagem compartilhada nas redes sociais, o guitarrista destaca que foi muito difícil conseguir ser premiado. “Tinha guitarristas do mundo todo concorrendo. Foi muito estudo para alcançar essa premiação”, escreveu.

Josué Costa fez participações no programa Feito em Casa, da TV Cidade Verde. No Facebook, o apresentador da atração, professor Cineas Santos, ressaltou que Josué Costa sempre foi um excelente violonista. “O mérito,portanto, é todo dele.Nossa é só a alegria”, observou.

O Prêmio

Andrés Segovia foi um guitarrista espanhol considerado o pai do violão erudito moderno pela maioria dos estudiosos de música. Os músicos dizem que ele construiu um repertório clássico para dar lugar ao instrumento em concertos musicais. Alguns compositores como Turina e Villa-Lobos fizeram obras especificamente para Andrés.

Fonte: CidadeVerde.com

sábado, 30 de julho de 2016

Piauí tem uma das maiores jazidas de ferro do Brasil com cerca de 1 bilhão de toneladas

Até pouco tempo atrás marcado apenas pela seca e miséria, o Piauí vem a cada ano mostrando cada vez mais que é dono de grandiosas riquezas naturais e minerais.  E quando o assunto é minérios, ao contrário do que as pessoas pensam, o Piauí é rico em recursos minerais, possuindo jazidas de diabásio, calcário, mármore, níquel e do minério de ferro.

Piauí é rico em minérios e possui uma das maiores jazidas de minério de ferro do Brasil /
 Imagem ilustrativa - Bemisa

O Piauí possuí uma das maiores jazidas de minério de ferro do Brasil, ela está localizada no município de Paulistana, que fica na região sudeste do estado, e está estimada em cerca de 1 bilhão de toneladas. Só para servir de comparação, a mina de Carajás, no Pará, possui cerca de 17 bilhões de toneladas e é a maior do mundo.

A jazida de ferro está localizada em Paulistana,
no sudeste do Piauí / Imagem: Wikipédia
A empresa Bemisa é quem realiza as pesquisas e irá explorar a jazida encontrada na cidade de Paulistana. A empresa pretende investir aproximadamente R$ 3 bilhões provenientes do grupo Bemisa e do BNDES.

O Grupo Bemisa obteve da SEMAR-PI (Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí) a outorga definitiva para captação anual de 15 milhões de metros cúbicos de água, o que representa cerca de 5% da capacidade total da Barragem de Poço do Marruá, localizada no município de Patos, no Estado do Piauí, a cerca de 60 km de distância do empreendimento. 

Com relação ao suprimento energético, uma linha de transmissão de 500 kV, passa a apenas 10 km da área do Projeto Planalto Piauí. O Ministério de Minas e Energia já concedeu a portaria que autorizará o empreendimento a acessar a rede básica e se conectar com o sistema nacional de energia elétrica.

  A quantidade de ferro estimada da reserva
   é de 1 bilhão de toneladas / Imagem: Bemisa
O projeto também já obteve a licença de instalação para implantação da mina, planta de beneficiamento e toda infraestrutura necessária. Além disso, conta com concessão de lavra, emitida pelo Ministério de Minas e Energia (MME), para exploração de minério de ferro na área do projeto

Primeira indústria siderúrgica do estado

Uma industria siderúrgica deverá ser instalada em Paulistana para o beneficiamento do minério de ferro, foi o que disse o então secretário de mineração Paes Landim, em 2012. Ele recebeu garantias de grupos locais para a elaboração de um projeto de viabilidade técnica e econômica para a instalação de uma assearia no município de Paulistana. Esta será a primeira indústria siderúrgica do Estado.

“Nesse local será trabalhado a transformação do ferro de forma intermediária. Será de grande importância, pois será capaz de suprir o mercado local e das regiões vizinhas com ferro, vergalhões, entre outros”, disse o secretário ao comentar que a própria Bemisa garantiu uma cota na assearia.

Fonte: Bemisa

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo

O Piauí vem se destacando cada vez mais em todas as áreas e na internet não poderia ser diferente, o piauiense Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo, atrás apenas do sueco Felix Arvid Ulf Kjellberg, conhecido na internet como PewDiePie. O dado vem de uma pesquisa realizada em junho pela Snack Intelligence, divisão da rede Snack de canais no YouTube que monitora e analisa o mercado audiovisual digital. Segundo o estudo, o Brasil tem outros youtubers no top 10 de influência: Felipe Neto, em terceiro lugar, Julio Cocielo (CanalCanalha), na sexta colocação, e Felipe Castanhari (canal Nostalgia), em sétimo.

Whindersson Nunes é o segundo youtuber mais influente do mundo

Com a ajuda do software Tubular Labs, a pesquisa leva em consideração métricas como engajamento, visualizações, número de inscritos, frequência de publicação e atividade do canal, entre outras. A cada youtuber foi atribuído um valor que vai de zero a mil, com base nessas métricas.

Ranking da Snack Intelligence colocou Whindersson Nunes como o segundo youtuber
 mais influente do mundo.

Whindersson Nunes se tornou famoso na internet por suas paródias – de Adele a Luan Santana, nada escapa do rapaz de 21 anos. Ele possui mais de 10 milhões de inscritos em seu canal no YouTube, tendo a segunda maior conta brasileira no site, atrás apenas do Porta dos Fundos. Seu sucesso já o catapultou como dublador – ele faz uma das aves pré-históricas em A Era do Gelo 5.

Fonte: (Com informações da Veja)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Nova indústria da ZPE de Parnaíba inicia exportações em 90 dias

A segunda indústria da Zona de Processamento de Exportação do Estado do Piauí (ZPE Parnaíba) começou a receber as primeiras carretas com o maquinário necessário para iniciar o funcionamento dentro de 90 dias.

O presidente da ZPE Parnaíba, Paulo Roberto Cardoso, apontou o fato como mais uma prova de que o sonho dos piauienses de terem a sua ZPE está se concretizando. “Estas conquistas estão sendo possíveis graças à importância que o governador Wellington Dias vem dando à ZPE, criando as condições para a atração de investimentos, como as duas indústrias já existentes”, disse Paulo Cardoso.

ZPE de Parnaíba, nova empresa começou a se instalar no local onde produzirá para exportação

Essa segunda indústria atuará na produção de peletts e briquetes, que são espécies de matrizes energéticas utilizadas em caldeiras nas indústrias e lareiras de residências em diversos países. Até essa quinta-feira (14), já haviam chegado quatro, de um total de 12 carretas, transportando máquinas e equipamentos necessários à produção mensal de 120 toneladas do produto, cuja exportação será feita diariamente pelo porto do Pecém, no Ceará.

Segundo informações de um dos sócios da Ecopellets, o empresário Antônio de Pádua Brito Costa, a nova fábrica promoverá um grande impacto na economia da região e despertará uma nova consciência quanto ao aproveitamento sustentável dos recursos naturais. A matéria prima para a fabricação das matrizes energéticas será a palha da carnaúba logo após o processo de extração do pó destinado à fabricação de cera.

No aspecto econômico, o impacto da nova indústria será na geração de empregos diretos e indiretos, além da injeção de dinheiro no mercado regional.

O presidente Paulo Cardoso ressaltou que esse modelo de atuação da nova indústria se encaixa nos objetivos do Governo do Estado de promover a geração de empregos e riquezas nas regiões em desenvolvimento, como o Norte do Piauí, que, além dos empregos diretos, serão criados centenas de postos de trabalho no campo, fortalecendo a economia familiar.

Antônio de Pádua Brito destacou o apoio que o governo e a Companhia Administradora da ZPE Parnaíba vem dando à implantação de novas indústrias no município. “A gente só tem a agradecer porque essa indústria era para ser instalada no Ceará, mas, devido ao apoio incondicional da ZPE Parnaíba e do Governo do Estado, nós a trouxemos para cá”, reconheceu o empresário.

Pádua agradeceu também à Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi) que, segundo ele, vem dando grande incentivo à instalação dessa segunda indústria no município de Parnaíba.

Fonte: Governo do Piauí

terça-feira, 12 de julho de 2016

A empresa espanhola Elecnor investirá R$ 1 bilhão e construirá usina solar em São João do Piauí

E depois da empresa italiana Enel anunciar o inicio da construção de uma usina de energia solar em Ribeira do Piauí, que será a maior da América Latina e custará cerca de R$ 1 bilhão, o Piauí contará com mais um projeto de usina fotovoltaica no semiárido piauiense, dessa vez o investimento é da Celeo Redes Brasil, subsidiária do grupo espanhol de geração de energia, Elecnor. A concretização da iniciativa aconteceu, nesta quinta-feira (7), durante reunião com representantes da empresa espanhola e o secretário de Estado de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luís Coelho. O investimento total pode superar R$ 1 bilhão.

Grupo espanhol fez estudos e projeto durante dois anos e  agora irá disputar o próximo leilão de energia que será realizado em outubro, a empresa pretende investir R$ 1 bilhão  na que será a segunda maior usina eólica do Piauí, ficando atrás da usina Nova Olinda, que será construída pela italiana Enel  em Ribeira do Piauí / Imagem: Elecnor

A usina será instalada no município de São João do Piauí, que tinha população estimada em 20.146 habitantes em 2015 e fica localizado a 516 quilômetros de Teresina. Depois de instalado, o empreendimento será capaz de gerar 450 GWh por ano, o suficiente para atender as necessidades de consumo de energia anual de 220.000 lares brasileiros. A unidade de produção, no semiárido piauiense, será construída em uma área com altos níveis de radiação solar e contribuirá para atender à crescente demanda do país por energia.

Localização de São João do Piauí, município do sul do estado receberá a segunda maior usina solar do Piauí,
 que custará cerca de R$ 1 bilhão / Imagem: Wikipédia

O secretário de Mineração, Luís Coelho, afirma que a reunião desta quinta concretiza o interesse do grupo espanhol em investir no Piauí. Além do investimento em produção de energia, o estado tem a ganhar com outros benefícios. “Aliado a isso, está a mão de obra gerada pela construção civil para construir essa estrutura, como também a formação de mão de obra especializada em parcerias com a secretaria Estadual de Educação, IFPI, UFPI e com a UESPI, todos esses estão imanados no processo de formação de mão de obra qualificada no estado, que é essa mão de obra que o projeto exige”, informa.

A Celeo Redes Brasil participará do leilão de energia solar que será realizado em outubro de 2016. O executivo do grupo espanhol Elecnor, Marcelo Vinícius, destacou, que a companhia pretende investir recursos superiores a um bilhão de reais. “Nós estimamos que esse projeto, caso ele venha a ser contratado nos leilões de energia realizados pelo governo federal no mês de outubro, estará já no segundo semestre de 2019 gerando mais de 450 GW/hora por ano, volume esse de energia capaz de atender mais de 220 mil lares”, declarou o gerente.

Usina solar construída pela Elecnor em Moore, estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, que possui 223.960 painéis solares em uma área de 191 hectares e produz 70 MW, a usina piauiense será quase sete vezes maior / Imagem: Elecnor

Ainda de acordo com Marcelo Vinícius, há mais de doze meses a Elecnor realiza medições solarimétricas em São João do Piauí. “Hoje, estamos dando continuidade a um projeto que começamos em meados de 2014 onde o grupo Elecnor acreditando no potencial solarimétrico do estado começou seus estudos. O Piauí é um estado privilegiado no recurso solar”, ressalta.

A Elecnor iniciou suas atividades no mercado elétrico do Brasil em 1979 e atua na produção de energias renováveis, com a consolidação de um dos principais complexos eólicos de todo o hemisfério sul, o Parque Eólico de Osório, no estado do Rio Grande do Sul.

Elecnor é uma das empresas responsáveis pelo maior parque eólico do hemisfério sul, o Parque Eólico de Osório, no estado do Rio Grande do Sul / Imagem: Reprodução

Agora, após pesquisas na região de São João do Piauí pretende investir no estado na produção de energia fotovoltaica gerando, durante a construção da nova unidade de produção de energia, mais de mil empregos diretos.

Fonte: (Com informações do Governo do Piauí)

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Nova unidade da Vikstar no Piauí vai gerar 3 mil empregos em Parnaíba

O governador Wellington Dias participou, nesta quarta-feira (06), de agenda em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com o empresário Antonino Nicolodi, presidente da Vikstar Call Centers. A empresa tem filial no Piauí, em Teresina, gerando aproximadamente 4.000 empregos e planeja uma nova unidade na cidade de Parnaíba, no litoral do estado.

Vikstar já opera em Teresina e irá abrir filial em Parnaíba e posteriormente pretende expandir para Picos

A nova filial da Vikstar tem a previsão de gerar 3.000 empregos diretos numa primeira etapa, com perspectivas de chegar a 5.000 empregos em 3 anos. "Gerar emprego é tudo que estamos precisando em Parnaíba e no Piauí, e queremos contribuir para viabilizar esse projeto", afirmou o governador.

O prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, ressaltou o esforço entre o executivo municipal e o legislativo parnaibano para concretizar a iniciativa. "A prefeitura e a Câmara Municipal fizeram sua parte com aprovação de incentivos para atração do investimento. Parnaíba tem rede de fibra óptica com banda larga de alta velocidade, tem o público que mais precisa de empregos nesta área de atendimento via internet, que são os jovens, os estudantes, com a presença ampliada da Universidade Federal, Universidade Estadual, Instituto Federal e faculdades particulares, além de grande rede de ensino médio. Nossa prioridade é gerar emprego e renda", defende Florentino.

Antonino Nicolodi relatou que, em razão da burocracia, demorou muito um financiamento que a empresa pleiteou junto ao Banco do Nordeste e que colocou em risco contratos que a empresa precisa cumprir com seus clientes. "Minha opção é investir no Piauí e aceitamos firmar um protocolo com o Governo do Estado, por meio do Fundo de Investimento da Previdência, onde este investe no prédio cedido pela prefeitura, equipa e nós alugamos", disse o presidente da Vikstar. "Foi assim que fizemos em São Paulo. O que vamos pagar de aluguel é mais do que o Fundo de Previdência recebe em aplicações bancárias", explicou o presidente da Vikstar.

Wellington ressaltou o compromisso do executivo estadual com a iniciativa. "Vamos assinar esse protocolo pelo Programa de Atração de Investimentos do Estado. É um negócio seguro, pois todo o valor investido em prédio e equipamentos é do Estado, por meio do Fundo de Previdência, e que tem uma rentabilidade garantida maior que a atual, o que garante solidez para o fundo e alta rentabilidade. E o melhor, gerando empregos no Piauí", defendeu o chefe do executivo estadual.

Expansão

A Vikstar planeja, no futuro, atuar em mais cidades do Piauí. Dessa vez, a expansão será para o Sul do estado. "A empresa já estudou e aprovou Picos como nova área de expansão", anunciou Antonino Nicolodi.

A equipe técnica do Governo do Estado trabalha, com base na legislação vigente, para celebração do acordo ainda este mês. "A orientação é seguir a lei e não perder este empreendimento no Piauí. E outra notícia boa foi o compromisso da empresa em viabilizar o investimento ainda este ano e estudar a expansão com outro empreendimento em 2017 na cidade de Picos, onde chega a rede de fibra óptica até o fim de 2016.", comemorou Wellington.

"Call Center é uma indústria limpa, que gera muitos empregos, especialmente para a população mais jovem, do primeiro emprego e mais familiarizada com o novo mundo da internet, trazendo dinheiro por cada atendimento de serviços de telefonia, celular, cartão de crédito, dentre outros serviços, de todo o Brasil para o Piauí. Em Teresina, já são 14.000 empregos com 3 empreendimentos. Vamos incentivar a expansão na capital e ampliar também para o Norte e Sul do Piauí", ressaltou o o governador.


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Empresa italiana investe R$ 1 bilhão e começa a construir no Piauí a maior usina de energia solar da América Latina

A empresa italiana de geração de energia, Enel S.p.A, por meio de sua subsidiária Enel Green Power Brasil Participações Ltda, anunciou o início das obras de construção da maior usina solar do Brasil, a Nova Olinda, localizada no Piauí. Quando concluída, será a maior da América Latina, com 292 megawatts em capacidade. O investimento total será de US$ 300 milhões (quase 1 bilhão de reais no câmbio atual), como informou a companhia em comunicado nessa terça-feira (5).

Piauí terá a maior usina solar da América Latina que será construída em Ribeira-PI pela Enel /
Na imagem, o Karadzhalovo Solar Park, na Bulgária, que produz apenas 60 MW, com 214 mil painéis fotovoltaicos  e ocupa uma área de 100 hectares, equivalente a 100 campos de futebol. O do Piauí terá capacidade para gerar 292 MW e ocupará uma área de 690 hectares.

A usina será instalada no município de Ribeira do Piauí, que tem apenas 4.381 habitantes e fica  localizado a 377 quilômetros de Teresina, na microrregião do Alto Médio Canindé. Depois de construída, a Nova Olinda ocupará uma área de 690 hectares e terá capacidade instalada total de 292 MW. O empreendimento será capaz de gerar mais de 600 GWh por ano, o suficiente para atender as necessidades de consumo de energia anual de cerca de 300.000 lares brasileiros, evitando a emissão de cerca de 350.000 toneladas de gás carbônico (CO2) para a atmosfera. A unidade de produção será construída em uma área com altos níveis de radiação solar e contribuirá para atender a crescente demanda do país por energia.

Localização de Ribeira do Piauí, município onde será construída a usina solar da Enel
e que será a maior da América Latina / Imagem: Wikipédia

A Enel ganhou o leilão da energia solar realizado em agosto de 2015. O governador Wellington Dias, antes mesmo do leilão, acompanhou os investimentos em energia no Piauí e realizou viagens à Itália e Alemanha para conhecer projetos e conversar com o empresariado local do setor. "Essa iniciativa faz parte do nosso projeto de trabalhar muito e produzir o que o Brasil precisa: energia, alimentos, bons serviços e gerar emprego e renda fazendo a economia crescer. O Piauí está pronto para esta tarefa e estamos trabalhando para ampliar investimentos e gerar emprego e renda para a população", afirma o chefe do executivo estadual.

O gerente da Enel para o Brasil, Carlo Zorzoli, destacou, por meio de nota, que a companhia pretende continuar investindo para crescer de maneira sólida no setor de energia no país. "O governo brasileiro tem desenvolvido um processo atrativo e bem estruturado de leilões e temos construído o nosso sucesso com base na tecnologia líder de mercado, excelência em financiamento e reputação", declarou o gerente.

Wellington Dias destacou os demais investimentos realizados no Piauí. "Somando os investimentos como esse da Enel, em energia solar; do Grupo Votorantin em energia eólica - com cerca de 3,6 bilhões de reais também em andamento; do Grupo Tomazini, da Terracal, do Ouro Branco e da Portugal Gás e Petróleo, teremos bilhões de investimentos e mais empregos”, ressalta o governador, ao destacar que também já está acertada a instalação do grupo Aurora, Alfa e Minasmel (os três na produção de alimentos), Budny (tratores e implementos) e uma nova base da Vickstar em Parnaíba.

Fonte: (Com informações do Governo do Piauí e da Enel)

Piauí Loterias lança nova plataforma de jogos online, a Lotoshow

A Piauí Loterias lançou uma nova plataforma de sorteios com transmissão ao vivo pela internet, a Lotoshow.com. A primeira exibição foi feita nessa segunda-feira (4), no estúdio montado na Escola Fazendária. A Lotoshow.com possui três modalidades de apostas, uma com prêmios instantâneos no formato de raspadinha, denominada Raspe Show; e outras duas modalidades com sorteios de prognósticos, que são aquelas que envolvem uma combinação numérica, denominadas de Super 26 e Bilhete Tradicional.

Estúdio da Lotoshow, nova plataforma de jogos da Piauí Loterias / Foto: Governo do Piauí

No Bilhete Tradicional, o apostador cria seus próprios palpites escolhendo os algarismos para formar uma milhar, uma centena, uma dezena, uma dupla de dezena ou um terno de dezena. Em cada sorteio, serão extraídos 5 prêmios, a serem sorteados ao vivo via internet na seguinte ordem: 5º prêmio, 4º prêmio, 3º prêmio, 2º prêmio e 1º prêmio, respectivamente. Ao ser premiado, o apostador pode ganhar até 7 mil vezes o valor apostado.

Diferente do Bilhete Tradicional, na Super 26, o jogador cria seus próprios palpites escolhendo uma simples dezena, duas ou três dezenas para serem sorteadas em um universo de 26 dezenas. Ao ser premiado, o jogador pode ganhar até 160 vezes o valor apostado.

Os sorteios serão realizados com total transparência por meio de sorteadoras automáticas (Globos) ou randômicos, com o acompanhamento de auditores e a presença do público, cinco vezes ao dia (11h20,14h20,16h20,19h00 e 21h20), e serão transmitidos ao vivo pela internet, para que o apostador possa acompanhar e torcer.

Para jogar na Lotoshow.com, basta um simples cadastro na plataforma online disponibilizada no site. A Piauí Loterias disponibiliza uma Central de Atendimento onde são tiradas as dúvidas dos apostadores por meio do 0800 887 0923 ou do chat online. Feito o cadastro, o apostador adquire créditos que podem ser pagos por meio do cartão de crédito e débito. O passo seguinte é escolher a modalidade de aposta.

Segundo o diretor da Piauí Loterias, Otávio Learth, com a Lotoshow.com, a exploração do serviço lotérico será uma nova fonte de receita para os cofres públicos, além de fomentar setores sociais imprescindíveis para o bem-estar da sociedade. “Do montante que será arrecadado nos jogos, 70% em média serão convertidos em prêmios para os apostadores, e os outros 12% serão para o Estado retornar para a população em forma de obras sociais, com uma estimativa de 20 milhões de reais por ano”, declarou o diretor.

A nova plataforma de sorteios terá transmissão ao vivo pela internet / Foto: Governo do Piauí

Os recursos arrecadados com a loteria serão destinados ao desenvolvimento socioeconômico da população piauiense, principalmente nas áreas da cultura e esporte. No próximo dia 18, às 16h, entra em funcionamento a Central de Desenvolvimento Socioeconômico, que será responsável pelo planejamento, monitoramento e pela transparência da aplicação dos recursos, visando maior controle por parte da sociedade e dos órgãos de controle e ainda uma maior isenção na aplicação desses recursos.

No dia 18 de julho, o governador Wellington Dias fará uma visita ao estúdio da Lotoshow.com, onde conhecerá de perto como funciona a nova plataforma de sorteios. Quando lançou a Piauí Loterias, o chefe do executivo estadual disse que o novo formato gera mais transparência, já que os recursos são geridos pelo Estado. "Retomamos a loteria em um formato moderno, com transparência, e que permite uma maior fiscalização dos órgãos de controle”, afirmou o gestor.

Para o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles, o faturamento da Lotoshow pode superar os R$ 150 milhões. “Em 12 meses de arrecadação com as apostas, a Lotoshow.com pode gerar R$ 20 milhões por ano para serem investidos em saúde, educação, esporte e segurança. Assim como a população abraçou a Nota Piauiense, já está abraçando também a Lotoshow e contribuindo com o engrandecimento do Estado”, declarou Fonteles.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Grupo Budny instalará em Campo Maior (PI) uma montadora de máquinas agrícolas; Investimento será de R$ 30 milhões

Em viagem de negócios em Santa Catarina, o governador Wellington Dias esteve no município de Içara nesta sexta-feira (01), onde firmou protocolo de instalação de uma montadora de máquinas agrícolas no Piauí.

O Grupo Budny montará em Campo Maior (PI) uma fábrica de pequenos tratores para a agricultura familiar. O investimento inicial está previsto em R$ 30 milhões, com geração de 200 empregos diretos. Além de fornecer maquinário para o mercado interno, aproveitando a vocação do Piauí para a agricultura familiar, a empresa deve se aproveitar da posição geográfica estratégica para atingir novos mercados.

Unidade de fabricação de tratores da  Budny em Içara-SC, o grupo catarinense, que produz tratores e implementos agrícolas, irá instalar uma unidade para produzir micro tratores e implementos agrícolas na cidade de Campo Maior
Imagem: Budny

"O Piauí está localizado no Nordeste, entre o norte e Centro Oeste. Temos nesta região uma tradição da agricultura familiar, mas boa parte ainda trabalha com a enxada. Temos programas de incentivo a qualificação e uso de tecnologias modernas para ampliar produção e renda. E vamos aperfeiçoar para um programa de atração da indústria de tratores e implementos agrícolas", destacou o governador Wellington Dias.

A Budny oferece kit com mini trator, roçadeira e arador a um custo de R$ 30 mil. Fabrica tratores de 25 a 105 cavalos e seus implementos. O maior trator custa cerca de R$ 150 mil. A marca produz também um modelo de patrol vendido por R$ 200 mil.

Budny investirá cerca de R$ 30 milhões na instalação de fábrica em Campo Maior para produzir micro tratores e implementos agrícolas, o investimento deve gerar 200 empregos diretos / Imagem: Budny

A diretoria da empresa vem estudando a expansão para o Piauí há 2 anos. Agora com o protocolo, as partes assumiram suas obrigações e a meta até 2018 é alcançar o objetivo traçado: tratores e equipamentos do Piauí para o Nordeste, Norte e Centro Oeste do Brasil.

"Em trinta dias vamos apresentar nosso cronograma. Começamos abrindo uma pessoa jurídica e iniciamos pela montadora até a fábrica", disse Carlos Budny, diretor da empresa.

A prefeitura de Campo Maior liberou para a empresa uma área de 13 hectares, próximo à BR 343 e a subestação de energia. O governo garantiu os incentivos fiscais.

"A Budny já vende produtos de Santa Catarina para o Piauí. Agora queremos a produção no Piauí", disse o prefeito de Campo maior, Paulo Martins.

Wellington visita a indústria Mi

A missão liderada pelo governador Wellington Dias também conheceu a Minamel, maior indústria exportadora de mel do Sul do Brasil e a segunda do Brasil. A diretoria da empresa está decidida a criar uma base no Nordeste do Brasil e o governador apresentou proposta para que o local escolhido seja o Piauí.

Fábrica da Minamel  em Içara-SC, empresa catarinense quer se instalar no Nordeste 
e o governo do Piauí fez proposta para a instalação no Piauí / Imagem: Minamel

"Vim aqui demonstrar nosso total interesse em ver esse empreendimento no Piauí. A experiência da Minamel como industrializadora e exportadora de mel para o Brasil e para o mundo se somará ao setor competitivo que já temos", ressaltou Dias.

O Piauí já integra lista de fornecedores da Minamel. A empresa importa mel orgânico principalmente da região de Picos. A qualidade do produto é um diferencial que pode contar na escolha.

"Conheço o Piauí, compramos mel de boa qualidade. Apesar da distância, somente este ano já compramos mais de 300 toneladas. Vamos visitar para apresentar uma proposta", disse Guilherme Castagna, diretor da Minamel.

Fonte: (Texto adaptado do site do Governo do Piauí)

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Governo e Grupo Tomazini discutem a implantação de complexo agroindustrial de R$ 1 bilhão em Uruçuí

Com o objetivo de discutir os termos e o cronograma para implantação do complexo agroindustrial em Uruçuí, o secretário estadual de Governo, Merlong Solano, se reuniu com o representante do Grupo Tomazini, Edgar Mendes; o presidente da Eletrobras Piauí, José Salan; e o diretor técnico da distribuidora de energia, Luís Carlos. O encontro foi realizado nesta sexta (24), no Palácio de Karnak.

Secretário de  Governo Merlong Solano discute implantação de complexo agroindustrial no Piauí
(Foto:Ascom Segov)

O secretário explicou que, no início do mês de junho, o Governo celebrou um Protocolo de Intenções junto à empresa Nutriza Nordeste Alimentos S.A., que faz parte do Grupo Tomazini, para a implantação de área agroindustrial no município.

“Agora estamos tratando junto ao Grupo Tomazini e a Eletrobras Piauí um cronograma de investimentos que viabilize o projeto dentro de um prazo proposto, que é de 4 anos e meio, para a conclusão do distrito agroindustrial no estado”, informou Solano.

O espaço contará com investimentos da ordem de R$ 1 bilhão e resultará na geração de cerca de seis mil empregos, sendo três mil diretos e outros três mil indiretos. Durante a reunião, foi discutida a infraestrutura de energia elétrica na região, com a instalação de duas subestações 15/20MW e a criação de uma linha de distribuição de energia elétrica.

“Nos reunimos para definir as ações de responsabilidade da empresa, do Governo e da Eletrobras para viabilizar a infraestrutura de energia elétrica que atenda às necessidades do Grupo”, ressaltou o secretário de Governo.

Edgar Mendes, representante do Grupo Tomazini, frisou que o grupo atua no Piauí com a agricultura de grãos de soja e de milho e pretende criar um parque industrial para produção de ração e de frangos. “Desde a fase inicial das negociações, que culminaram com a assinatura do protocolo de intenções, a implantação de melhorias estruturais relacionadas à qualidade e disponibilidade de energia elétrica na região de Uruçuí foram negociadas com o Estado e com a Eletrobras”, salientou Mendes.

Fazenda Serra Branca Agrícola em Uruçuí, pertence ao Grupo Tomazini, lá o grupo já produz milho e soja e agora pretende instalar um grande complexo agroindustrial focado na criação e abate de frangos para exportação,
além de ração / Imagem: Grupo Tomazini

A empresa pretende construir em Uruçuí 450 galpões com capacidade de 35 mil frangos cada um. O secretário explicou que o governador Wellington Dias tem incentivado a industrialização de matéria-prima a fim de agregar valor aos produtos produzidos no estado.

“O grupo já investe na região de Uruçuí, produzindo soja e milho. Agora a empresa vai agregar valor à matéria-prima, com a instalação da área agroindustrial com capacidade de abater 150 mil frangos por dia, em que parte será destinada à exportação”, informou Solano. O Grupo Tomazini também pretende investir na produção de óleo vegetal a partir da soja e do milho.

Atribuições

O gestor da Secretaria de Governo acrescentou que ficou acertada na reunião a execução de um estudo de viabilidade técnica, que vai envolver o grupo Tomazini, o Governo e a Eletrobras para definir as responsabilidades de cada órgão e da empresa.

No protocolo de intenções, o Estado se compromete a articular a construção de 2.500 casas do Programa Minha Casa Minha Vida; trabalhar para a implantação do aeroporto local; viabilizar a pavimentação asfáltica do trecho de aproximadamente 30 quilômetros e criar cursos profissionalizantes junto às instituições de ensino da localidade que permitam qualificar a mão de obra, objetivando melhor aproveitamento.

Fonte: Texto adaptado do site do Governo do Piauí